Crudivorismo

Mesmo sem comprovações científicas de sua eficácia, a popularidade do crudivorismo se espalhou pelo mundo, conquistando diversos adeptos. Relacionada à expressão “alimentação viva”, a doutrina alimentar segue padrões agrícolas, determinando o consumo exclusivo de alimentos crus para promover a nutrição do organismo. Sem produtos de origem animal e sem preparações cozidas ou desidratadas, os alimentos são consumidos em sua forma natural.

Mais do que apenas uma dieta, o crudivorismo é um estilo de vida bioativo, que consolida termos saudáveis para agregar qualidade de vida e promover mudanças sistêmicas em nosso modo de consumo.

Com o apoio de conselhos médicos ou de especialistas para formar seu cardápio, confira como aderir ao crudivorismo e descubra um pouco mais sobre sua historia.

O que é o crudivorismo?

Foi em 1984 que a grande febre das dietas aliadas ao crudivorismo se tornaram efetivas, a partir do bestsellerRaw Energy, lançado pela escritora Leslie Kenton, que descrevia uma dieta baseada em alimentos crus.

Sua proposição seria de que estes alimentos eram armas prontas na prevenção contra doenças degenerativas, retardando efeitos do tempo, estimulando a obtenção de energia e fortalecendo o equilíbrio no organismo.

A rawfood, ou comida crua, se tornou então popular no crudivorismo: Prometendo melhorar a saúde e desintoxicar o corpo, a dieta seria capaz de proteger o corpo de forma natural.

A dieta crudivorismo.

Alimentos como frutas frescas, vegetais, sementes, grãos germinados ou brotos como trigo, arroz, cevada, centeio, aveia, lentilha, grão de bico, ervilha e alfafa são ideais para compor seu cardápio, sendo todos consumidos crus, sem preparação que tire seus valores nutricionais.

Assim como as dietas veganas, existem diversos pratos e refeições feitas sobre a visão crudivorista, que podem ser preparadas facilmente a partir de ingredientes frescos.

Como iniciar?

Para evitar um choque ao organismo, é ideal começar a induzir a nova dieta aos poucos, equilibrando seus ingredientes ao lado de alimentos comuns em sua rotina alimentar tradicional.

Corte as preparações dos legumes e consuma-os crus, assim como vegetais, e substitua lanches e refeições avulsas pelo consumo de frutas. Aos poucos, deixe estes alimentos dominarem seus pratos, consumindo-os exclusivamente durante as principais refeições do dia.

Benefícios do crudivorismo!

O consumo de alimentos crus promove a nutrição adequada a partir dos elementos selecionados, contando com a ingestão de todas as suas substâncias benéficas. Com mais energia para o dia a dia, o crudivorismo ajuda a equilibrar o metabolismo e administrar uma rotina alimentar saudável, além de promover o emagrecimento natural com a progressão da dieta.

Como obter corretamente as vitaminas no crudivorismo?

Seguindo os princípios da qualidade nutricional na comida crua, é necessário ingerir todos os alimentos de forma natural, sem preparações assadas ou cozidas, que poderiam cortar o valor nutricional dos alimentos.

Os crudívoros podem adaptar sua alimentação com pequenas quantidades de sal ou óleos prensados a frio, com o azeite de oliva, a fim de atribuir um sabor mais gostoso aos alimentos.

A alimentação viva visa a obtenção de nutrientes de forma natural, consumindo alimentos, portanto, exclusivamente crus.

A realidade não tão doce do Mel de abelha
Os veganos devem aceitar o antiveneno?
11 principais motivos para nunca mais comer peixes
Dicas para aderir o Veganismo além da alimentação
5 fatos que apontam como o consumo de ovos pode te matar
18 médicos veganos norte-americanos que você precisa conhecer

Nenhum Comentário

Deixe um comentário.